Seja Bem-Vindo!

.



















TURISMO

São Sebastião do Caí possui uma riqueza singular no item belezas naturais. Não só a zona rural, interior do município, como também a zona urbana oferece locais de grande beleza, propiciando aos amantes da natureza o deleite de desfrutar de peculiaridades como o Morro do Martim, localizado no centro da cidade; da prática do ecoturismo e suas variantes, explorando o rio Caí, suas cachoeiras e balneários, do município com suas estradas vicinais e trilhas, emolduradas pela paisagem sempre verde, somadas às visitas às propriedades onde se desenvolvem a agricultura e a pecuária, oportunizando, com isso, um efetivo contato com os processos de plantio e cultivo de hortifrutigranjeiros e flores, da tiragem do leite, enfim, de todos os aspectos pitorescos da atraente simplicidade da vida rural.

                   No centro da cidade as marcas da colonização apresentam-se bem vivas e caracterizadas através, principalmente, da arquitetura. A sede da Prefeitura Municipal, prédio histórico em estilo neoclássico português, é uma das atrações arquitetônicas. Somam-se a elas o prédio também histórico do antigo presídio municipal, construído em 1886 e única sede ainda de pé do extinto Banco Pelotense, estando previsto para breve o início dos trabalhos para sua restauração (o prédio, praticamente em ruínas, foi adquirido pela Prefeitura); a casa de Alceu Masson; as mansões onde hoje residem a viúva Alzira Oderich e a família Cristiano Oderich; as igrejas católica, construída em 1879, e evangélica (1899). Além disso, a Praça Cônego Edwino Puhl, o calçadão, os antiquários, o Parque Centenário e a gastronomia, representada pela típica cozinha alemã, constituem motivo de comentários elogiosos de todos que passam pela cidade.                                                          

           Apesar do potencial perfeitamente explorável e de belos exemplos fornecidos por economias próximas, a cidade ainda não despertou para a importância da exploração do turismo como fonte de renda.        

           Alguns eventos tradicionais acontecem periodicamente atraindo visitantes de diversas regiões do estado:

           A Festa da Bergamota é o maior evento do município. Ocorre de dois em dois anos e faz parte do Calendário Turístico do Estado, tendo por objetivo a promoção, em âmbito estadual e nacional, de uma das nossas principais riquezas: a produção de cítricos.

           A Festa da Bergamota  originou-se de reuniões de moradores e pessoas ligadas ao Centro de Treinamento Agrícola em Capela de Santana, então distrito de São Sebastião do Caí. A primeira Festa realizou-se em 1970, em Capela de Santana. O prefeito da época, impressionado com o entusiasmo dos produtores e mentores da idéia, logo após tornou-a oficial através de Lei Municipal, trazendo-a em 1971 para a sede do município, já como a 2ª Festa da Bergamota, a qual teve maior repercussão, trazendo, na época, empolgação a  toda a comunidade . Em 1972 ocorreu a 3ª Festa. Nesse ano ficou estabelecido que a Festa aconteceria de 2 em 2 anos,  mas tendo em vista o Centenário do município em 1975, foi programada a 4ª Festa para esse ano, tendo sido, então, uma festa ampliada e melhor elaborada. Em 1979 foi realizada a 5ª Festa da Bergamota, sendo a primeira a ter lugar  no Parque Centenário. A partir daí, cada vez mais sofisticada, apresentando muitas e variadas atrações, incluindo exposições, shows musicais e de dança, parque de diversões, eventos esportivos,  além da degustação das saborosas  bergamotas, a Festa realiza-se sempre no Parque Centenário.

         O Rodeio Crioulo é outro grande evento do município, que reúne milhares de pessoas de todo o estado, interessados em divulgar e manter as tradições gaúchas. Realiza-se de dois em dois anos, alternado com a Festa da Bergamota, também no Parque Centenário. Inúmeras barracas invadem o Parque num belo espetáculo de cores.

           A Festa de São Sebastião, conhecida também como Festa da Praça e Festa de Janeiro, é realizada anualmente no mês de janeiro, culminando no dia 20, por ser este o dia de São Sebastião, padroeiro de município, com uma grande procissão que atrai fiéis de todo o município e da região. A cada ano a Festa se moderniza,  acompanhando a evolução, e continuará a ser parte da história de nossa gente.

           A procissão de Corpus Christi, realizada anualmente em junho, reúne centenas de fiéis que seguem pelas ruas centrais da cidade decoradas com tapetes de flores e serragem, formando obras de arte e dando um colorido especial à procissão.

           As festividades do Natal que são realizados anualmente em dezembro, integram toda a comunidade numa grande festa natalina  com decoração das casas, igrejas, empresas,  praça e  ruas, resgatando o espírito natalino nas pessoas e tornando-se  passagem obrigatória para os turistas, sendo tema, inclusive, de reportagem para os jornais e canais de televisão da capital.

           A hotelaria do município é exercida pelo único hotel da cidade, o Tratoria Di Variani, categoria simples, com 12 apartamentos, com ocupação média anual de 80%.

 


Considerações Finais: O presente trabalho não pretende ser definitivo, nem categórico em suas observações e conclusões. Tem caráter interdisciplinar e procurar abranger todos os aspectos da vida de São Sebastião do Caí, considerando as contribuições dos mais diferentes segmentos da comunidade, aliados aos dados estatísticos. Seu objetivo é servir como uma ferramenta aos gestores e planejadores do município, evidenciando suas potencialidades, demandas, carências e vocações, com vistas à promoção do desenvolvimento local sustentado, alavancando a economia local, qualificando as condições de vida dos moradores e preservando o meio ambiente.
DADOS E FONTES Perfil do Município, editado pela Agência da Caixa Econômica Federal de São Sebastião do Cai, Secretarias Municipais, Arquivo Municipal.
Elaboração final e Fotografias: Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de São Sebastião do Cai- RS, Pedro Griebler – contatos fone: 0xx51- 635-1066 – email:imprecai.pg@terra.com.br
Colaboração: Neiva Esteves, coordenadora do Museu Histórico Vale do Caí.


© Todos os Direitos Reservados 1998-2002